Violência entre torcidas ainda é realidade

Marcio Souza
05/04/2016

Triste realidade. Absurda realidade. Uma pessoa morreu no último domingo, dia 3 de abril, após um confronto entre torcidas organizadas paulistas. O jogo entre Corinthians e Palmeiras teve, lamentavelmente, um péssimo resultado fora de campo: uma pessoa morreu baleada. Uma pessoa, que, segundo reportagens, não participava da briga, tombou sem vida após um disparo atingir seu peito. A fatalidade aconteceu na Zona Leste de São Paulo…

…E acontece em todo o lugar do Brasil. Se as torcidas organizadas não forem combatidas com rigor pelas autoridades, mais casos estúpidos de violência ainda serão registrados. Segundo a Folha de S. Paulo, 113 pessoas já morreram em brigas de torcida no Brasil desde 2010. Um número assustador para um espetáculo que deveria ser de paz.

Voltamos a dar aquele enfadado grito: paz no futebol!!

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Um Náutico voltando a ser grande

Os torcedores mais antigos do Náutico lembram com clareza do último Estadual conquistado pelo clube, em 2004. Outros, à epóca pequenos, recordam apenas dos melhores momentos reproduzidos pela TV. Muitos anos decorreram e aquele gosto de levantar a taça já sumiu da boca. Depois de uma amarga “Batalha dos Aflitos”, em 2005, muito mais. Achar culpados desse modesto ostracismo não foi perda de tempo.

Mas, nesse último ano, o Náutico parece que tenta voltar a ser grande. Dentro de campo e, sobretudo,  na gestão.

A começar pela campanha otimista e convincente que realiza no Campeonato Pernambucano atual, com 20 pontos, na segunda colocação. (empatado com o Salgueiro, também com 20); A terminar pelo pagamento dos direitos trabalhistas de seu quadro de funcionários.

Foram quitados, na semana passada, três meses de salários atrasados referentes a 2015. Marcos Freitas, atual presidente,  junto com sua diretoria conseguiu regularizar o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) de seus empregados depois de quatro décadas.

Vai em frente, Timbu! É assim que se faz futebol.

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone