Vitória: Julho é o mês com menor índice de homicídios

NogueiraJunior
15/08/2017

Enquanto outros municípios se preocupam, Vitória de Santo Antão, comemora. Julho registrou menor índice de homicídio até o momento.  De acordo com dados divulgados pela Secretaria de Defesa Social (SDS), o município somou apenas três ocorrências de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs).

Por outro lado de janeiro até julho, já foram registradas 1.176 ocorrências de Crimes Violentos Contra o Patrimônio.  Os casos de violência doméstica contra a mulher também apresentaram redução. Para finalizar, não houve registros de estupro.

 

ACOMPANHE OS NÚMEROS DE HOMICÍDIOS POR MÊS

JANEIRO – 15

FEVEREIRO – 9

MARÇO – 15

ABRIL – 12

MAIO – 11

JUNHO –11

JULHO – 3

TOTAL: 76

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

De janeiro a maio, 62 pessoas foram assassinadas em Vitória

NogueiraJunior
15/06/2017

A média de 17,1 mortes violentas por dia em Pernambuco caiu para 14,7. Um balanço apresentado ontem (14), pela Secretaria de Defesa Social (SDS), aponta que no mês de maio foram registrados 457 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) no Estado.

Em Vitória, apenas um crime a menos foi registrado em maio, comparado a abril que notificou 12 casos. Apesar de apenas um registro a menos no número de mortes, a quantidade de Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPs) apresentou crescimento.

Os dados da SDS revelam que no mês de maio ocorreram 183 crimes de roubos e furtos contra o patrimônio, entre roubo de veículos e transeuntes. Já em abril, o total foi de 162 crimes. As mortes de janeiro a maio deste ano no município chegam a 62. No ano passado, 86 crimes de mortes violentas somaram nas estatísticas da SDS.

MOTIVAÇÕES
Os números da SDS indicam que das 457 mortes ocorridas no mês passado em Pernambuco: 135 foram motivadas pelo tráfico de drogas, 97 por acerto de contas, 22 aconteceram em decorrência de outras atividades criminais, 67 por conflitos nas comunidades e 47 não tiveram as motivações ainda definidas. Fazem parte da lista ainda mortes decorrentes de latrocínios, conflitos afetivos ou familiares e feminicídio.

MULHERES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR
Comparado aos dois meses anteriores, os casos de mulheres vítimas de violência doméstica e familiar mostraram redução de 50%. No total, 167 casos foram registrados de janeiro a maio.

ESTUPRO

Apenas um caso foi registrado pela SDS no mês de maio. Ao todo, 9 casos ocorreram nos cinco primeiros meses do ano.

SECRETÁRIO DIZ QUE ESTÁ NO “CAMINHO CERTO”
“Apesar de não ter havido nenhum aumento no número de policiais militares neste ano, estamos conseguindo reduzir a criminalidade. Isso se deve ao trabalho ostensivo da Polícia Militar e às investigações feitas pela Polícia Civil. Estamos no caminho certo. Há três meses os números de homicídios apresentam redução, mas não estamos comemorando. Muito ainda precisa ser feito. Nossa grande meta é reduzir sempre a criminalidade e oferecer segurança para a população”, declarou o secretário de Defesa Social, Angelo Gioia em entrevista coletiva.

 

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Vitória registra mais de 50 homicídios entre janeiro e abril de 2017

NogueiraJunior
15/05/2017

“Estamos trabalhando no caminho certo”. Parece até brincadeira, mas foi o que disse o secretário Ângelo Gioia em coletiva de imprensa, durante a divulgação 2.037 homicídios entre janeiro e abril deste ano em Pernambuco. Em março, segundo os dados, divulgados na tarde desta segunda-feira (15), março registrou 549 homicídios, porém em abril, houve uma diminuição: 514 foram contabilizados no Estado.

Em Vitória de Santo Antão, em quatro meses, 51 pessoas foram assassinadas no município.  De acordo com a SDS, janeiro teve 15; fevereiro 9; março 15; e abril 12. Já os Crimes de Violência Contra o Patrimônio, também apresentaram redução. Abril contabilizou 154 registros. Seguindo o panorama de dados, os casos de Violência Doméstica Contra a Mulher e estupros apresentaram resultados positivos comparados há outros meses.

Apesar das pequenas reduções nota-se uma falência múltipla no Pacto Pela Vida, quando as forças de segurança registram uma média de 17,13 mortes por dia. 58% dos crimes estavam ligados a atividades criminais, como tráfico, crime organizado, grupos de extermínio e sistema prisional.

PRODUTIVIDADE POLICIAL

As prisões em flagrante delito aumentaram. No estado, 6.925 pessoas foram autuadas. Com 1.468 armas apreendidas e o cumprimento de 1.775 mandados de prisão, Gioia se sentiu satisfeito. “Os números que apresentamos hoje são a prova cabal de que o Pacto pela Vida tem tudo para continuar trazendo segurança e bem estar para a população de Pernambuco”, disse o secretário.

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Em Vitória, quase 40 assassinatos são registrados no primeiro trimestre de 2017

Trinta e nove pessoas foram assassinadas em Vitória de Santo Antão no primeiro trimestre de 2017. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira no site da Secretária de Defesa Social (SDS). O aumento dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) continuam a todo vapor. Fazendo uma análise, observamos que no ano passado 86 pessoas foram mortas, números que não haviam crescido desde os últimos noves anos. O ano mais violento no município foi em 2008 com 87 crimes – um a mais que 2016.

Voltando para 2017, em apenas três meses, mais de trinta homicídios já estão contabilizados pela Polícia Civil no município. Janeiro fechou com 15; fevereiro com 9 e março com 15. Para piorar, os Crimes Violentos Contra o Patrimônio (CVP) continuam subindo. De acordo com os dados, janeiro obteve 150 registros, fevereiro 164 e a alavancada foi em março, com 180. A categoria inclui roubos a estabelecimentos comerciais, agências bancárias, ônibus, transeuntes, residências e automóveis; sequestros e extorsão mediante sequestro.

Estupro e violência doméstica e familiar contra mulheres

As ocorrências de crimes de estupros tiveram uma redução significativa. Neste ano cinco casos ocorreram, comparado a 2016, que obteve 36 crimes desta modalidade. Comemoramos de um lado e lamentamos de outro. Quando se trata de vítimas de violência doméstica, nota-se que até março 99 mulheres foram vítimas. Comparado a janeiro e fevereiro, março desbancou 39 pessoas.

É preocupante como esses números assustam não só a imprensa, mas a sociedade civil, que hoje vive sitiada pelo medo. A não adesão dos policiais ao Programa de Jornada e Extra de Segurança (PJES) e a intensificação da operação padrão tem contribuído o aumento da criminalidade. Vale salientar que a operação padrão exige que todo efetivo antes de ser lançado às ruas faça um tipo de ‘revisão’ dos equipamentos de uso como: coletes à prova de balas, viaturas com os requisitos exigidos pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs). É notável que se tudo estiver dentro da legalidade na segurança pública de Pernambuco, a operação não teria refletido no cenário.

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

SDS veda informações sobre homicídios à imprensa

NogueiraJunior
14/03/2017

Em meio ao caos que sitia o estado de Pernambuco, os veículos de comunicação passaram a divulgar um balanço do que ocorreu em todo estado nas últimas 24h. Entre as pautas, os índices de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs). Desde o inicio de fevereiro, os números deixaram de ser divulgados diariamente no site oficial da SDS.

Para informar a sociedade pernambucana, relatos extraoficiais foram criados e compartilhados com atualizações a cada hora sobre a quantidade de crimes registrados na Região Metropolitana do Recife, Interior e Sertão. Em contrapartida, muitos não acreditam na mensagem do ‘mortometrô’, porém alguns jornalistas começaram a divulgar – após checagem, o balanço dos assassinatos.

Para amordaçar a imprensa pernambucana, o secretário de Defesa Social, Ângelo Gioia, determinou que nenhuma informação ou entrevista deverá ser concedida a nenhum veículo meio de imprensa sem autorização expressa da Gerência Geral de Polícia Cientifica, sob o comando da doutora Sandra Maria dos Santos – ou da assessoria de imprensa da SDS.

De acordo com o documento, a medida em questão tem como objetivo evitar que informações incompletas, errôneas ou divergentes sejam veiculadas gerando conflito ou desgaste a imagem do profissional ou da instituição. Mesmo com a determinação de Gioia, os meios de comunicação vão cumprir o seu papel: informar a sociedade.

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Índice de homicídios em Vitória de Santo Antão cresceu 70% em 2016

NogueiraJunior
11/01/2017

Vitória de Santo Antão registrou um aumento de mais de 70% no número de homicídios em 2016. Até o dia 31 de dezembro foram registrados 83 crimes deste tipo, enquanto em 2015 apenas 50. Os dados são da Secretária de Defesa Social (SDS).

Em 2016, a Área Integrada de Segurança (AIS) do 21º Batalhão de Polícia Militar responsável pelo policiamento em seis cidades, além de Vitória, contabilizou 203 assassinatos. Já no ano anterior, 183 crimes ocorreram.

De acordo com os dados apresentados, 81% das vítimas foram mortas por arma de fogo, em contra partida 13% arma branca (faca ou materiais de perfuro cortante) e sobrando apenas 6% de outros objetos.  Os meses com maiores números de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) foram novembro, outubro, julho e março, com 26, 23, 24 e 24 assassinatos, respectivamente.

O ex-comandante do 21º Batalhão das Tabocas, Tenente Coronel Sérgio Cabral, teria que reduzir 12%, mas não obtive sucesso na missão, pois ocorreram 163 assassinatos na sua área. Comparado a 2015, que teve 143.

2016: ANO MAIS VIOLENTO EM PERNAMBUCO

É notório que os índices altíssimos requer a necessidade de ajustes no Pacto pela Vida, o qual registrou reduções entre 2007 e 2011. Desde 2009, o Estado não catalogava uma disparada nas estatísticas de mortes violentas.

Para identificar o impacto da quantidade de mortes ocorridas mensalmente, a SDS as classifica em quatro grupos: verde (menos de 250), amarelo claro (entre 250 e 280), amarelo escuro (280 e 310), e vermelho (maior que 310). Apenas o mês de fevereiro, que teve 307 homicídios, não ficou na faixa vermelha. Outubro foi o período mais violento, com 451 assassinatos. Só pode ser superado por dezembro, que, entre os dias 1 e 27, registrou 404 mortes violentas.

TROCA – TROCA NOS COMANDOS

Na crise da segurança pública, o governador Paulo Câmara, desesperado e no âmbito de respirar mais tranquilo no quesito: segurança, fez um ‘troca-troca’ nos comandos e sub-comandos da Polícia Militar de Pernambuco. Conforme noticiou o Jornal do Commércio, 21 batalhões tiveram seus comandantes substituídos no dia 1 de janeiro. Como todo ano ocorre o famoso rodizio, ninguém quis fazer alarde. Haja vista, que muitos já esperavam a oxigenação da tropa.

Confira a lista completa dos novos comandantes de batalhões da PM:

8º BPM – tenente coronel Isaac Pereira Guerra;

3º BPM – tenente coronel Alfred o Wanderley de Carvalho;

16º BPM – tenente coronel Alexandre Menezes de Souza ;

6º BPM – tenente coronel  Alexandre Alves da Cruz;

10º BPM – tenente coronel José Pires de Souza Filho;

24º BPM – tenente coronel  José Aleixo Barbosa Júnior;

5º BPM – tenente coronel Antônio André Rodrigues Souza;

7º BPM – tenente coronel Lucieudo Ribeiro de Santana;

14º BPM – tenente coronel Girley de Oliveira Figueiredo;

4º BPM – tenente coronel Ely Jobson Bezerra de Melo;

22º BPM – tenente coronel Lenildo Mauricio da Silva;

8ª Companhia Independente – tenente coronel Fábio Cesar de Souza  Lins;

23º BPM – tenente coronel Carlos Eduardo Gomes de Sá;

9º BPM – tenente coronel Paulo Cesar Gonçalves Cavalcanti;

3ª Companhia Independente – tenente coronel Silvestre Silva Dantas;

5ª Companhia Independente – tenente coronel Sérgio Fernando Cabral Da Silva;

7ª Companhia Independente – tenente coronel Marcondes Inácio da Silva;

21º BPM – major Edvaldo Cesar de Moraes;

4ª Companhia Independente – major Robson Cordeiro;

25º BPM – major Adilson Gomes da Silva;

Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente – major Manoel Renan Do Nascimento;

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone