Insegurança continua após operação em Vitória

NogueiraJunior
28/04/2017

Operação ou Pirotecnia? São essas as perguntas frequentes da população que presenciou dois dias de muita movimentação policial em Vitória de Santo Antão. Uma ação com mais de 100 policias entre civis e militares, 20 viaturas e a utilização de um helicóptero do Grupo Tático Aéreo, da Secretaria de Defesa Social para propiciar sensação de segurança aos moradores.

Foram dois dias de intenso policiamento aéreo e terrestre no âmbito de combater homicídios e tráfico de drogas na Área Integrada de Segurança (AIS) do 21º Batalhão Monte das Tabocas.

Por um lado, todo esse motim trouxe elogios. Para o delegado seccional Hallysson Pontes, o objetivo dos trabalhos foi dar uma rapidez nos inquéritos dos homicídios que ocorreram no primeiro trimestre de 2017, e posteriormente prender os possíveis autores dos crimes.

Porém, o que a população esperava era ver muitas pessoas sendo presas pelos crimes e não apenas um serviço burocrático sendo adiantado.  A insatisfação foi tão enorme que chegaram a questionar se a operação intitulada ‘Força no Foco’ era mais uma jogada de marketing do Governo.

Para retrucar, a Polícia Civil disse que mais de 100 pessoas foram ouvidas em cartório. E novamente outra indagação. Por que esse procedimento não foi feito antes? Isso a sociedade precisa saber.

Mesmo com toda essa, ‘sensação de segurança’ intencionada pelo Governo, foi só a operação ser finalizada que os criminosos retornaram às ruas para praticar delitos. Na noite desta quarta-feira (26), o que mais se viu nas redes sociais foram relatos de assaltos. Na manhã desta quinta-feira (27) a frase que estava já na ‘ponta da língua’ dos comerciantes: “foi só passar a operação que tudo voltou ao normal”. Nós precisamos de mais ações integradas no âmbito de prender os criminosos e não apenas resolver o serviço burocrático.

Ainda há relatos que alguns policiais pediram ‘ajuda’ a comerciantes, políticos e empresários locais para que fosse custeada a alimentação dos que iriam atuar 48h. Em resposta, a SDS negou qualquer informação sobre o caso.

PIROTECNIA: Informalmente, é gíria usada para dizer que algo é feito para desviar a atenção ou somente para impressionar, para chamar a atenção.

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Tiros e correria na Praça da Matriz no feriado

NogueiraJunior
22/04/2017

Mais uma vez a cena se repete: tiros, correria e tumulto na Praça da Matriz. A noite do feriado desta sexta-feira (21) foi de tensão para os frequentadores do local, o qual antes era tido como um ambiente familiar. O pânico começou quando um rapaz, após uma discussão, sacou uma arma, e atirou contra outro jovem. Dois disparos foram efetuados, porém, um deles atingiu a vítima na nádega.

Socorrido para o Hospital João Murilo de Oliveira (HJMO), a vítima recebeu os primeiros socorros e não corre risco de morte. Apesar do susto, ele foi encaminhado para uma unidade no Recife, de acordo com os socorristas.  A Polícia Militar foi acionada e fez diligências para tentar capturar o autor dos disparos, que até o momento encontra-se foragido.

Uma estudante de 22 anos contou a nossa reportagem que foi a primeira e última vez que esteve no local. “Eu vim porque uns amigos me chamaram, mas nem deveria ter vindo. A gente observa que tem muita gente mal intencionada: consumo de drogas, tráfico e outras coisas que tenho medo até falar, mas não irei mais retornar a este local – prefiro ir para um barzinho acho mais seguro”, disse a jovem que não quis se identificar.

Já um comerciante revelou que por conta da insegurança está fechando o estabelecimento mais cedo. “Estou indo pra casa mais cedo. Quando chega a determinado horário o clima fica pesado por aqui. E para não ser vítima da violência, prefiro voltar pra casa mais cedo”, revelou o senhor de 53 anos.

Foto: Bruno Valois/Cortesia

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Em Vitória, quase 40 assassinatos são registrados no primeiro trimestre de 2017

Trinta e nove pessoas foram assassinadas em Vitória de Santo Antão no primeiro trimestre de 2017. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira no site da Secretária de Defesa Social (SDS). O aumento dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) continuam a todo vapor. Fazendo uma análise, observamos que no ano passado 86 pessoas foram mortas, números que não haviam crescido desde os últimos noves anos. O ano mais violento no município foi em 2008 com 87 crimes – um a mais que 2016.

Voltando para 2017, em apenas três meses, mais de trinta homicídios já estão contabilizados pela Polícia Civil no município. Janeiro fechou com 15; fevereiro com 9 e março com 15. Para piorar, os Crimes Violentos Contra o Patrimônio (CVP) continuam subindo. De acordo com os dados, janeiro obteve 150 registros, fevereiro 164 e a alavancada foi em março, com 180. A categoria inclui roubos a estabelecimentos comerciais, agências bancárias, ônibus, transeuntes, residências e automóveis; sequestros e extorsão mediante sequestro.

Estupro e violência doméstica e familiar contra mulheres

As ocorrências de crimes de estupros tiveram uma redução significativa. Neste ano cinco casos ocorreram, comparado a 2016, que obteve 36 crimes desta modalidade. Comemoramos de um lado e lamentamos de outro. Quando se trata de vítimas de violência doméstica, nota-se que até março 99 mulheres foram vítimas. Comparado a janeiro e fevereiro, março desbancou 39 pessoas.

É preocupante como esses números assustam não só a imprensa, mas a sociedade civil, que hoje vive sitiada pelo medo. A não adesão dos policiais ao Programa de Jornada e Extra de Segurança (PJES) e a intensificação da operação padrão tem contribuído o aumento da criminalidade. Vale salientar que a operação padrão exige que todo efetivo antes de ser lançado às ruas faça um tipo de ‘revisão’ dos equipamentos de uso como: coletes à prova de balas, viaturas com os requisitos exigidos pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs). É notável que se tudo estiver dentro da legalidade na segurança pública de Pernambuco, a operação não teria refletido no cenário.

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Troca de comando no 21° Batalhão da Polícia Militar

NogueiraJunior
11/04/2017

O 21° Batalhão das Tabocas, considerado por nós uma das unidades vitrine da Polícia Militar de Pernambuco, teve uma troca de comando silenciosa. Sem muito alarde, o recém promovido tenente coronel Edvado Cézar de Moares deixou o comando para dar a vez ao também tenente coronel Edvaldo Oliveira, ex-sub-comandante do 4° BPM, em Caruaru.

Fazendo uma análise sobre a atuação do antigo comandante, não há nenhuma novidade: os índices de homicídios aumentaram, porém, não atribuímos isso a ele. Quando Cézar assumiu o comando no dia 1 de janeiro deste ano, podemos dizer que o oficial pegou uma ‘maré alta’ – a Operação Padrão.

Com um efetivo menor nas ruas, faltou criatividade para empregar o policiamento, mesmo sendo pouco. Janeiro, fevereiro e março foram apenas meses de adaptações para o militar alcançar a promoção, assim como aconteceu no ano passado com o tenente coronel Cabral. A única diferença é que Cabral durou um pouco mais.

O que esperar do novo comandante?

Vamos torcer para que as coisas melhorem para a sociedade vitoriense, pois já diz o ditado: “a esperança é a última que morre”. Não podemos, por enquanto, avaliar o mais novo comandante, mas vamos ficar de olho para dizermos isso em nossa próxima publicação.  Desejamos que ele seja bem vindo a nossa cidade e estamos dispostos a somar, pois a sociedade, a imprensa e a polícia juntos são imbatíveis.

Foto: Divulgação/PMV

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Vitória de Santo Antão sitiada pelo medo

NogueiraJunior
27/03/2017

O município de Vitória de Santo Antão passa por um momento crítico no que se refere a segurança pública. Homicídios e assaltos à mão armada são frequentes, além de sequestros relâmpagos que já foram registrados.

O que falta acontecer? Esperamos que uma resposta do poder público municipal e do Governo do Estado para que haja mais ações no combate ao crime no município sejam tomadas. Os vitorienses não aguentam mais tanta violência, o medo de ir à esquina ‘comprar o pão’ para não ser a próxima vítima de números tão estarrecedores.

Até o momento, em 27 dias, 15 pessoas foram assassinadas na terra das tabocas. Os assaltos também estão estugando há muito tempo. Os blogs, sites, rádios e TV, já não cabem mais tantos fatos jornalísticos sobre a violência.

Uma semana se passou e mais uma vez a situação é desacomoda. Até os apresentadores de TV da capital pernambucana citaram a seguinte frase:  “quer morrer? Vá pra Vitória!”. A população está afadigada em tantos assuntos dolorosos.

Nós, do Diario Policial, ficamos extremamente pesarosos em noticiar estes acontecimentos.  Tencionamos paz para essa nova semana que se inicia, para que ela volte a jornadear pelas ruas da Vitória de Santo Antão.

Foto: Bruno Valois

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Comandante do 21º Batalhão das Tabocas é promovido por merecimento

NogueiraJunior
25/03/2017

O comandante do 21º Batalhão da Polícia Militar, Major Edvaldo Cézar de Moraes, foi promovido ao posto de tenente coronel, conforme publicado no Diario Oficial do Estado de Pernambuco. As promoções do Quadro de Oficiais começaram a contar do dia 6 de março, porém só foram divulgadas na manhã deste sábado (25).

A unidade comandada pelo oficial atende os respectivos municípios: Vitória de Santo Antão, Escada, Primavera, Amaraji, Pombos, Glória do Goitá, além do Distrito de Juçaral, no Cabo de Santo Agostinho. Cézar começou a comandar o Batalhão das Tabocas no dia 1 de janeiro deste ano.

Foto: Gilmar Santos/Cortesia

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

SDS veda informações sobre homicídios à imprensa

NogueiraJunior
14/03/2017

Em meio ao caos que sitia o estado de Pernambuco, os veículos de comunicação passaram a divulgar um balanço do que ocorreu em todo estado nas últimas 24h. Entre as pautas, os índices de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs). Desde o inicio de fevereiro, os números deixaram de ser divulgados diariamente no site oficial da SDS.

Para informar a sociedade pernambucana, relatos extraoficiais foram criados e compartilhados com atualizações a cada hora sobre a quantidade de crimes registrados na Região Metropolitana do Recife, Interior e Sertão. Em contrapartida, muitos não acreditam na mensagem do ‘mortometrô’, porém alguns jornalistas começaram a divulgar – após checagem, o balanço dos assassinatos.

Para amordaçar a imprensa pernambucana, o secretário de Defesa Social, Ângelo Gioia, determinou que nenhuma informação ou entrevista deverá ser concedida a nenhum veículo meio de imprensa sem autorização expressa da Gerência Geral de Polícia Cientifica, sob o comando da doutora Sandra Maria dos Santos – ou da assessoria de imprensa da SDS.

De acordo com o documento, a medida em questão tem como objetivo evitar que informações incompletas, errôneas ou divergentes sejam veiculadas gerando conflito ou desgaste a imagem do profissional ou da instituição. Mesmo com a determinação de Gioia, os meios de comunicação vão cumprir o seu papel: informar a sociedade.

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

‘Coquinho’ longe das ruas de Vitória por tempo indeterminado

NogueiraJunior
07/03/2017

Os moradores de Vitória de Santo Antão sabem das investidas criminosas praticadas pelo andarilho conhecido por ‘Coquinho’. Pois bem, agora os comerciantes e donos de estabelecimentos comerciais na área central terão um pouco de sossego. Isto, por conta da prisão de Leandro Andrade Pereira, de 19 anos, o ‘Coquinho’, detido em flagrante após arrombar uma casa próximo ao Colégio Pedro Ribeiro, bairro da Matriz. Na investida, o pequeno criminoso levou a pior – quando caiu do 1º andar da residência – momento em que fugia, na manhã do último sábado (04).

Ele se arrebentou todo, foi levado ao Hospital João Murilo de Oliveira (HJMO), e posteriormente conduzido à Delegacia de Polícia Civil da cidade. Lá, o delegado fez os procedimentos de praxe e encaminhou o jovem para a audiência de custodia. Após ser ouvido pelo Juiz e Promotor da Vara Criminal, não restou outra para o suspeito: foi em cana. Na unidade prisional, ele irá rever seus comparsas, e talvez sairá, com ‘doutorado, mestrado e carteirinha de profissional do crime’.

Leandro Andrade Pereira já foi detido quando menor diversas vezes por roubo, arrombamentos a estabelecimentos comerciais e residências. Além disso, ele também é acusado de praticar furtos a transeuntes nas imediações do bairro Matriz.

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

21° BPM: a unidade vitrine da Polícia Militar de PE

NogueiraJunior
24/02/2017

O que o 21º Batalhão das Tabocas têm de especial? Essa pergunta é a que muitos cidadãos vitorienses estão fazendo. O dia começou bastante pesado. Tudo iniciou na tarde desta quarta-feira (22), com uma passeata. Um grupo de familiares de praças, que são ligados à Associação de Cabos e Soldados (ACS) saíram em caminhada da Avenida Agamenon Magalhães até o Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, no bairro da Joana Bezerra.

A princípio, o ato iria para o Palácio do Governo, no bairro de Santo Antônio, porém houve algumas mudanças – isto porque – houve uma suposta de informação de haver mandados de prisão em desfavor de Allbérisson Carlos, presidente da ACS e Nadelson Leite, vice, o tenente Vladimir Assis, da Associação dos Militares do Estado de Pernambuco, e do sargento Glaustony Wanderley Galvão, todavia a informações foram negadas pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE).

Na verdade, ocorreu uma reunião do Conselho Especial de Justiça para decretar a prisão preventiva dos militares. O que chamou a atenção durante a votação foram os escolhidos. A maioria já passou pelo 21º Batalhão das Tabocas são eles: Ten Coronel Cabral, Major Renato Aragão e o atual comandante da unidade, Major Cézar. Na audiência, também participaram o Juiz Militar e o Ten Coronel Santiago. Dos que passaram pelo 21º BPM apenas o Major Renato votou contra a prisão. Em contrapartida, Cabral e Cézar votaram a favor. Já no contexto geral, o Juiz Militar também votou contra a prisão, o que reforçou a virada por 3×2.

Eles são apontados como os líderes do movimento deflagrado pela corporação por melhores condições de trabalho, equiparação salarial com a Polícia Civil e também estão sendo responsabilizados por incitar a paralisação da categoria. A ação criminal foi ajuizada pelo Ministério Público de Pernambuco, através da Promotoria de Justiça Criminal da Capital, no último dia 1º. O promotor Diego Pessoa Costa denuncia os militares pelos crimes do Código Penal Militar de motim, reunião ilícita, revolta, conspiração, calúnia, injúria e publicação ou crítica indevida. Fazendo uma análise fria, observasse que o Batalhão das Tabocas é uma unidade vitrine da Polícia Militar de Pernambuco. Muitos que passaram a comandar se promoveram na carreira – sendo mais especifico no mês de março.

Na noite desta quarta-feira (22), militares comentaram nas redes sociais mensagens de repúdios aos oficiais que votaram a favor. Vamos observar qual será a reação das tropas comandadas pelos dois oficiais em relação ao posicionamento dos mesmos. Aguardemos os próximos capítulos que serão escritos para conhecimento da população. Para finalizar, uma incógnita: será que o Governador vai reprimir, de forma silenciosa, os policiais que votaram a favor da categoria?

*Com informações adicionais do Diario de Pernambuco e sites

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Briga entre torcidas organizadas ocorre no Centro de Vitória

NogueiraJunior
10/02/2017

Cenas que já são rotineiras no centro de Vitória de Santo Antão: brigas de torcidas organizadas. Confusão, tumulto e lançamentos de rojões fazem a área central da cidade se transformar em um palco de guerra. Na noite desta quinta-feira (9) não foi diferente. Desta vez, nós do Diário Policial fomos testemunhas oculares da selvageria.

Tudo começou quando a Torcida Organizada da Inferno Coral (TOIC) ficou próxima à Estação Ferroviária, aguardando a passagem da Torcida Jovem do Sport (TJS). No momento em que a torcida adversária passava pelo local, ambas, trocam farpas e em seguida, deu-se início a uma série de agressões. Aproximadamente 100 torcedores trocaram murros, socos, ponta pés e lançaram rojões entre si. Moradores informaram terem ouvido disparos de arma de fogo, mas essa versão foi negada pela polícia.

Foliões que acompanhavam a comemoração dos 110 anos do frevo na sede da ACTV ficaram assustadas e com medo de ser vítima da violência.  Alguns, retornaram para casa. Quem passava pelo local ficou bastante aterrorizado. A Polícia Militar foi acionada para conter os brigões, mas chegou quando a confusão já havia se encerrado.

Duas viaturas realizaram rondas na Rua 15 de Novembro e nas imediações da área por onde o conflito se espalhou, porém, não obteve êxito na captura.

Foto: Rubemar Cavalcanti/Blog do Brother

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone