Daniel Coelho vê PSDB, DEM e PTB juntos em 2018

A menos de um ano para as eleições, as movimentações da oposição ao Governo Paulo Câmara (PSB) vão ganhando mais corpo de olho no Palácio do Campo das Princesas. Entre as forças que estariam buscando se unir, o PSDB, o DEM e o PTB. “Eu acho que é uma situação quase que consolidada. Que esses dois partidos estarão juntos numa chapa de oposição”, afirmou o deputado federal Daniel Coelho (PSDB), durante entrevista à Rádio Folha FM 96,7. Segundo o tucano, as conversas com os democratas e os petebistas estão “extremamente avançadas”.

Para o deputado federal, o PSDB vai estar presente na chapa majoritária e que, neste momento, os partidos apresentem seu nome para o Governo e, mais para frente, faça uma composição e decida os candidatos a governador, a vice e a senador.

“Neste momento é natural que todos eles coloquem seu nome para o Governo e a avaliação seja feita posteriormente. Agora, todos eles terão um protagonismo e são importantes. Se outros partidos que vierem também tenham um espaço de protagonismo dentro do projeto até porque uma das críticas que se faz ao governo do PSB é a coisa da panelinha, dessa coisa centralizada, ficar em torno de poucas pessoas sem ouvir os diversos segmentos da política pernambucana. Isso, inclusive, que fez com que tantos partidos que estiveram na base do PSB se afastem. Inclusiev, esses três partidos citados, o PSDB, o Democratas e o PTB estiveram presentes na última eleição de Paulo. Eram partidos que faziam parte do governo e saíram”, avaliou.

Segundo Daniel Coelho, o processo é parecido com o que ocorreu quando o PSB chegou no governo e, na época, os partidos que faziam parte da base de Jarbas Vasconcelos (PMDB) e Mendonça Filho (DEM) saíram da base e apoiaram a candidatura de Eduardo Campos (PSB).

“Quando há esse deslocamento de forças é o sentimento de que o vento da mudança está soprando e é o caso de Pernambuco. A aliança de Paulo elegeu 19 deputados federais, com mais um da aliança PHS/PSL na época – 20 deputados federais eleitos. Hoje, ele não tem a metade dos parlamentares. Quer dizer, já a maioria dos parlamentares anunciando que estarão na oposição. Ele perdeu a maioria inclusive na composição no Congresso Nacional e isso com médio prazo irá repercutir na Assembleia (Legislativa)”, disse o deputado federal tucano.

 

Blog da Folha

Foto: Agência Câmara

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *