Pressão não surte efeito e Aglailson Júnior sofre derrota na Câmara

A intensão em alterar a Lei Orgânica de Vitória de Santo Antão para a volta da reeleição do cargo de presidente na Casa Diogo de Braga passou a contar com novos capítulos. Durante a última semana, buscando interferir diretamente no Legislativo, o prefeito Aglailson Júnior (PSB) decidiu desengavetar o projeto e orientou os vereadores Jota Domingos (PTC), Frasão (PRP) e Romero Querálvares (PSB) a serem os autores da modificação. Tudo com um só objetivo: tornar Novo da Banca (PSD) apto para a reeleição, mantê-lo no cargo na próxima eleição da Mesa Diretora e garantir a estabilidade política.

Para que tudo desse certo, o gestor municipal buscou garantir o apoio da base governista – maioria da Câmara. No entanto, a ideia não foi aceita por todos e o racha do grupo ocorreu. Antes mesmo da sessão ordinária em que o projeto seria apresentado, Toninho Nascimento (PRB) deixou a vice-liderança do governo e passou a assumir posição de ‘independência’. Em paralelo, Irmão Duda (PSDC) deixou também a segunda secretaria da Mesa Diretora.

Em contrapartida aos governistas, a bancada de Oposição buscou garantir os votos necessários para garantir a derrota do projeto. Aglailson, no entanto, decidiu ir mais além. Junto aos secretários de Governo, Lívio Amorim, de Educação, Jarbas Dourado, e de Serviços Públicos, Biu da Morepe, o gestor foi à Câmara, momento antes da sessão da última quarta-feira (23), para pressionar os parlamentares.

Nada adiantou. A pressão não surtiu efeito. Iniciada a sessão, com uma hora de atraso, os 13 votos necessários para a aprovação não foram amarrados e a decisão foi não colocar em pauta, engavetando a alteração. Insatisfeito, Aglailson Júnior deixou a Casa Diogo de Braga prometendo revanche.

Tensão bastante marcada, o racha da base governista voltou a ser exposto durante a sessão. Com o projeto enterrado, as cenas dos próximos capítulos já irão refletir na formação dos palanques para as Eleições 2018. Até lá, pode acontecer tudo. Inclusive, nada.

Um comentário em “Pressão não surte efeito e Aglailson Júnior sofre derrota na Câmara

  • 26/08/2017 em 7:10 pm
    Permalink

    Sonho com o dia em que nossos políticos irão se preocupar com a cidade. Mas se preocupar do verbo ‘amar’. Só assim para termos uma melhora na vida dos cidadãos. Temos de ter projetos de ‘cidade’ não projetos de ‘governo’!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *